PARANOAZINHO_

O projeto parte dos conceitos propostos pela consultoria do Gehl Architects e visa criar uma ambiência urbana viva e diversa. Tem como premissa três pilares base: arquitetura bioclimática, conexões e tridimensionalidade urbana. A arquitetura bioclimática se refere à adaptação da arquitetura ao local, utilizando soluções simples que possam maximizar os resultados sem influenciar os custos de operação da edificação. As conexões são pontos cruciais para a ativação urbana da Rua Principal. Permitir a diversidade de percursos e conexões para gerar diversas espacialidades da cidade.
A cidade como construção tridimensional: erguemos a base com fachadas ativas e proporcionamos diversas conexões com a cidade. As quatro esquinas são pressionadas em direção ao solo criando conexões entre a rua e a praça interna e as grandes escadarias marcam os acessos e servem como locais de estar informal. O segundo pavimento torna-se agora um térreo expandido. Após todas as decisões urbanísticas tomadas a partir dos três pilares, a edificação surge como consequência. As esquinas da volumetria noroeste e sudeste do bloco possuem maior altura, de modo a sombrear tanto o pátio interno quanto a rua adjacente. As esquinas opostas têm menos altura permitindo visuais do pátio em direção ao exterior e à praça principal. As diferentes linguagens na fachada do edifício revelam os seus diferentes usos: residencial, comercial e lojas junto à base.
Concluindo, esse conjunto de forças se soma com uma única razão de existir: as pessoas. O olhar preocupado da vista da rua, dos seus recantos e encantos. Das suas peculiaridades e do todo. Este é um projeto sobre a poesia da vida lá fora.

Ficha Técnica_

LOCAL: Cidade Urbitá, Brasília, DF

ÁREA: 89.214,00m²

PROJETO: 2016

CLIENTE: UPSA

Projeto Arquitetônico: Ideia1 Arquitetura

Equipe do Projeto: André Landini, Luís Rocha, Gabriel Grandó

Imagens: Ideia1 Arquitetura

Rua Liberdade, 50
Porto AlegrePOA | Brasil

T: +55 51 3613031
E: contato@ideia1.com.br